«Querido leitor, escrevo-te da Montanha, do sítio onde medram as raízes deste blogue»

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Serra da Cabreira- “Regresso à Floresta Mágica da Cabreira”

1 de Maio de 2012


"As previsões meteorológicas indicavam aguaceiros para a manhã e tarde, um dia de chuva, que não convidava a grandes caminhadas, muito menos sozinho, como foi o caso. Mas a vontade, e, acima de tudo, as saudades de caminhar por esses montes fora era mais forte do que o receio de apanhar uma valente molhadela, o que viria naturalmente acontecer.
Optei por dirigir-me para a serra da Cabreira, e tentar explorar um pouco mais a mágica floresta da Costa dos Castanheiros, com o intuito de descobrir novos caminhos, tentando, se possível, penetrar um pouco mais nesse mundo maravilhoso, digno de Tolkien. Já havia calcorreado o trilho homologado, que desenvolve-se ao longo do monótono estradão florestal que atravessa e contorna a Costa dos Castanheiros, e que tem início e fim na abandonada e vandalizada Casa do Guarda Florestal de Agra.
Saindo da turística aldeia de Agra, dirigi-me para o interior da serra, e após a passagem pela ponte sobre a Ribeira da Lage, decidi seguir o rasto de um velho caminho empedrado, muito bonito por sinal, não fosse ele ladeado por belos carvalhos centenários e que, pausadamente, vai ao encontro do leito do rio. Ainda tentei acompanhar a subida da ribeira, mas a densa vegetação, e sobretudo as margens lamacentas e escorregadias, fizeram-me recuar na investida. Como sabia que um pouco mais acima do local onde me encontrava corria uma levada de água, decidi trepar a encosta, acabando por atingir a levada e seguindo-a durante algumas centenas de metros.
A dado momento, dei por mim novamente sobre a margem da ribeira e aproveitei a ocasião para passar para o outro lado. Uma foto aqui, outra acolá, e, inesperadamente, após entrar numa clareira da floresta, acabei por encontrar o rasto de um caminho que aparentemente rasgava o interior do bosque, embora não fizesse a menor ideia para onde se dirigia. Como ainda tinha muito tempo pela frente, decidi segui-lo, e a verdade é que não podia ter feito uma escolha mais acertada. À medida que ia percorrendo aquele mundo de fantasia, tinha mentalmente decidido que aquele seria o melhor caminho de montanha em floresta que até então conhecera. Fortuitamente, o caminho acabou por desembocar no estradão florestal, e com a roupa a começar a ficar «pesada», que é como quem diz, molhada, optei por seguir o estradão e concluir o trilho."
Pedro Durães

Características do percurso:

. O percurso homologado da "Costa dos Castanheiros" tem o seu início e fim na Casa do Guarda Florestal de Agra. Para quem pretender realizar o trilho, sugiro que o faça a partir do centro da aldeia de Agra. Há sinalização existente desde a aldeia até à Casa do Guarda Florestal, apesar do trajecto não constar do percurso homologado.
. Como pontos de interesse destaco a bem preservada aldeia de Agra, e, claro, a floresta da Costa dos Castanheiros. Em termos meramente comparativos, podemos dizer que a Costa dos Castanheiros está para a serra da Cabreira como a Mata de Albergaria está para a serra do Gerês, com uma pequena diferença, na primeira não é necessário pagar qualquer taxa de acesso ;)

As fotografias possíveis, depois de um dia de chuva, por vezes intensa...

Entrada no interior da serra da Cabreira (ponte sobre a Ribeira da Lage)

Panorâmica da Costa dos Castanheiros

O mundo de Tolkien

Leito da Ribeira da Lage

Estradão florestal

Mais um ribeiro a descer pausadamente a suave encosta da montanha

Calçada que liga a aldeia de Agra ao interior da serra da Cabreira
 
 

3 comentários:

José Pereira disse...

Boas primo.
Estive a dar uma vista de olhos pelo blog e está porreiro.
Uma sugestão, podias era criar uns menus no topo do blog com o nome das serras que visitas-te para de tal forma facilitar a visualização do blog.
Abraço.

Pedro Durães disse...

Boas primaço,
Obrigado pela dica. Já coloquei no topo do blogue uma lista com as postagens mais vistas, e aproveitei para colocar o nome das montanhas por onde andamos.
Um dia destes tens que vir com a malta para a serra, acho que vais gostar...

teresa Pereira disse...

Olá Pedro!
Que bom ver noticias vossas! Pelos vistos continuais a percorrer as montanhas com o mesmo afinco com que vos conheci.Eu tambem tenho andado por esses montes fora. è a minha forma de descansar desta sociedade destrutiva que temos no dia-a-dia. Aver se um destes dias nos cruzamos por aí!
Beijinhos e longos percursos
Teresa pereira